• Valéria Moreira

Boas-vindas à nova psicologa Marta Valença - cliente Agence Me Voilà!

E com imenso prazer que inauguro esta nova categoria de informações, apresentando aos meus caros leitores, o perfil da psicologa Marta Valença - que abriu seu consultório utilizando os serviços de acompanhamento para microempreendedores da Agence Me Voilà!



COMO TRABALHA A PSICANÁLISE?

Todos nós, quando crianças, fomos confrontados à castração. A partir daí organizamos uma defesa. A psicanálise trabalha a forma como a pessoa se organiza, o tipo de defesa que cada um organizou ao se confrontar com a castração. O neurótico a recalca e o psicótico a rejeita. Todos temos uma barreira que separa o consciente do inconsciente, mas as vezes essa barreira pode ser mais forte em uns do que em outros.


Afrouxando essa defesa, o inconsciente vai se tornando acessível ao consciente. Mas isso pode doer, lidar com os conflitos é doloroso, e por isso temos uma tendência a não deixar que isso aconteça facilmente; então a tarefa do analista é superar a resistência à rememoração. Tais resistências são derrubadas aos poucos até que o paciente começa a mudar a forma de se relacionar com as suas questões.


Os problemas não vão embora, mas a pessoa ganha força para enfrenta-los.

A psicanálise trabalha com a técnica da interpretação, ou seja, ela procura interpretar situações onde o inconsciente se manifesta, por isso a linguagem simbólica é tão importante, como nos sonhos ou nos sintomas. O sonho é portador de sentidos e o sintoma também é manifestação do inconsciente, e não apenas a simples manifestação de uma doença, podendo também ser interpretado.


Ao contrário de outros tipos de terapia, na psicanálise, o psicanalista não sugere, não diz o que o paciente deve fazer porque é preciso que o paciente crie recursos internos para lidar com as suas questões. Isso é extremamente importante para que quando a figura do psicanalista saia, o trabalho não vá todo por água abaixo.



POR QUE PROCURAMOS TRATAMENTO?

O sofrimento é a força motriz do tratamento. Tem que haver sofrimento para que a

pessoa faça análise, é essa dor psíquica que faz a pessoa investir e querer buscar

ajuda. Não se trata de uma cura, mas ao buscar situações conflitivas, os sintomas

serão aliviados e isso possibilitará à pessoa levar uma existência de forma mais

satisfatória, a ser capaz de lidar com os problemas de forma mais eficaz.


TEMPO DO TRATAMENTO

O tempo do tratamento depende de muitos fatores porque o inconsciente é

atemporal, não existe uma fórmula pronta de quanto tempo cada pessoa precisará para acessar seus conflitos e conseguir melhor direcionar a sua própria vida.


OBJETIVOS DA PSICANÁLISE

Para a psicanálise o homem é insuficiente, inacabado e por isso precisa do outro para se subjetivar. Então um dos objetivos da psicanálise é que ele não tenha apenas um outro todo poderoso em sua vida, mas vários "outrinhos" com os quais ele poderá estabelecer laços e que irão ajuda-lo a obter satisfação.


Através da experiência de um trabalho analítico, a pessoa percebe que ela sempre tem uma escolha de se responsabilizar pelo que o determina ou de rejeitar essa responsabilidade. Quando a pessoa percebe que ela não é obrigada a responder da mesma forma a todos os acontecimentos contingentes em sua vida, uma margem estreita se abre podendo conduzi-lo à uma nova forma de lidar com os seus sintomas que será menos dolorosa e menos problemática.


No primeiro tempo da cura, o sujeito se queixa do outro e o culpabiliza como sendo o responsável pelo seu sofrimento. Então a psicanálise abre ao sujeito à possibilidade de se responsabilizar pelo seu próprio gozo e pela desordem da sua vida, e o faz perceber a parte de responsabilidade que temos pelo nosso próprio sofrimento; dessa forma o sintoma deixa de ser algo que deve ser suprimido para ser algo a ser acolhido. É acolhendo nossa própria alteridade que poderemos também acolher a alteridade do outro.


A psicanálise opera visando a posição subjetiva, ou seja, a posição que o sujeito ocupa em relação ao outro porque essa é a única coisa que ele pode mudar. O sujeito não pode mudar o mundo, não pode mudar os outros, não pode mudar a sua história, mas ele pode mudar a sua posição, ele pode se posicionar de outra forma em relação ao outro e em relação ao que o acontece de doloroso.


Veja quem é Marta Valença, através de sua própria apresentação:


"Formada em psicologia desde 2017 pelo IBMR (Instituto Brasileiro de Medicina e

Reabilitação) no Rio de Janeiro, Brasil.

Durante a faculdade, fiz estágios no SPA (serviço de psicologia aplicada) da faculdade e também na psiquiatria da Clínica da Gávea no Rio de Janeiro, onde trabalhei por seis meses até me mudar para Paris para cursar o meu mestrado em psicanálise na Paris 8. Além de ter terminado meu mestrado em psicanálise, também faco análise com uma psicanalista lacaniana desde 2011; portanto posso me nomear uma psicóloga de orientação psicanalítica. No começo desse ano tive meu diploma de psicóloga validado na Franca pela comissão dos psicólogos do Ministério do ensino superior da pesquisa e da inovação, podendo enfim trabalhar como psicóloga em território francês."



Atendimento individual , com consulta marcada: 8 rue des Ciseaux - 75006 - Paris - de segunda à sábado.

Possibilidade de prise de rendez-vous através do DOCTOLIB

Tel: +33769170050 ou e-mail para martalima76@hotmail.com



Se você, como Marta Lima, também deseja exercer a sua profissão enquanto microempresa, solicite um orçamento através do site www.agencemevoila.fr


Me Voilà! Para te ajudar a ir mais longe!

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo